O risco de dor crônica nas costas aumenta se você fuma

Existem vários estudos que vinculam o hábito de fumar com a propensão a sofrer dores nas costas crônicas. Porém, neste estudo recente de pesquisadores da Northwestern University, em Evanston (EUA), sugere-se pela primeira vez que o fumo interfere no circuito cerebral associado à dor, porque fumantes são mais propensos a esse tipo de dor.

O córtex pré-frontal medial e o núcleo accumbens desempenharam um papel fundamental no desenvolvimento da dor crônica. Fumar reduz a capacidade de resistir a esse tipo de dor, em suma, porque fortalece a conexão entre ambos (quanto mais forte, menos resistente um indivíduo à dor crônica), conforme publicado na revista Mapeamento do cérebro humano.

O estudo foi realizado com 160 voluntários que recentemente desenvolveram dor nas costas aguda (que dura entre 4 e 12 semanas), bem como 32 pacientes com dor nas costas crônica (dor por 5 anos ou mais) e 35 participantes sem dor nas costas. Em cinco ocasiões diferentes, durante um período de um ano, todos os participantes preencheram questionários que coletavam informações sobre o uso de tabaco e outras condições de saúde, além de ressonância magnética (RM). Os fumantes tinham uma conexão mais forte entre o córtex pré-frontal medial e o núcleo accumbens, o que significaria sofrimento três vezes mais chances de desenvolver dor crônica nas costas.

Adicionar Bogdan Petre, líder do estudo:

No entanto, vimos uma queda drástica na atividade desse circuito em fumantes que (por vontade própria) deixaram de fumar durante o estudo. Então, quando eles deixaram de fumar, sua vulnerabilidade à dor crônica também foi reduzida.

A dor nas costas é um dos problemas médicos mais comuns no mundo: estima-se que afete 8 em cada 10 pessoas em algum momento de suas vidas.
Imagem | josemanuelerre